quinta-feira, 25 de setembro de 2014
Oi amores!
O livro de hoje é um pouco diferente do que resenho geralmente, por isso desde já, preciso deixar clara minha paixão por esse livro. Vamos falar de Vetter?

Dados Técnicos:
Título: A Redoma
Autor: Felipe Benichio
Editora: Talentos da Literatura Brasileira
Classificação: 4.5/5
Ano: 2014
Número de Páginas: 376
ISBN: 9788542801095
Sinopse:Gerações após o colapso da Terra, a humanidade vaga pelo espaço em busca de um novo lar. E, quando finalmente encontra o planeta Vetter, se depara com uma população inteligente, passando a enfrentar o dilema decorrente de sua pretensa superioridade: seria legítimo dizimar a população do planeta encontrado em nome da preservação da própria espécie? Em um cenário inóspito, guerras e conflitos interpessoais se descortinam do ponto de vista da equipe responsável pela exploração do lado escuro de Vetter, e também da perspectiva de 7814, um vetteriano desajustado, exilado pouco antes da invasão. Dinâmico e envolvente, A Redoma contrapõe o instinto de preservação às inquietações morais que afligem o espírito humano e nos apresenta uma tentativa de quebra da “redoma” que construímos em torno de nós mesmos e que, em muitos momentos, nos impede de enxergar o outro.
Em um mundo onde há muito a Terra foi esquecida pela devastação causada a ela e a vida humana é mantida através de naves espaciais, cada qual com o nome de uma cidade da antiguidade: Viena, Roma, Cairo, Esparta, etc. Dentro dessas naves as funções de cada ser humano são definidas em vista de que todos possam ser úteis para a comunidade enquanto se busca por um novo planeta que possa ser habitado.
Esse planeta surge logo no começo da trama e se chama Vetter, porém algumas coisas estranhas marcam esse planeta, como por exemplo existir um lado negro e um lado claro lembrando a Lua, dentro do lado claro existe uma redoma de um material não conhecido ou especificado e dentro dessa redoma vivem os vetterianos que lembram muito o próprio ser humano, através de um corpo bípede e alguma capacidade de comunicação existente, porém não identificada até o momento pelos homens.
O primeiro capítulo do livro se dedica a nós apresentar a história de 7814 que é um vetteriano um pouco diferente do restante de sua espécie. Eles se comunicação através de ondas de pensamento, portante não existindo qualquer privacidade de pensamentos ou transmissão deles para um vetteriano específico. Ao contrário de seus compatriotas 7814 acredita que deveria haver individualidade na sua espécie e por essa crença é expulso da redoma. A redoma foi construída, pois os vetterianos se "alimentam" da luz emanada por uma estrela anã comparável ao Sol e por isso é necessário iluminação constante, além dela servir como proteção e divisão contra os outros habitantes do planeta, como animais e afins.
Quando o homem descobre essa vida inteligente, até mesmo superior a sua, cria-se uma dúvida: invadiremos e diremos que estamos em paz ou simplesmente aniquilaremos a espécie como garantia de que não haja revoltas posteriores e invadimos o planeta? Obviamente o ser humano sendo uma espécie nem um pouco generosa e que acredita estar a cima de todas as outras, opta pela destruição da redoma e aniquilação dos vetterianos.


Mas a convicção humana, conforme ensina a experiência, não vale nada. É comum duas pessoas afirmarem que possuem certeza de coisas absolutamente incompatíveis e no final estarem ambas erradas. E falam com convicção de detentores da verdade, não dão o braço a torcer de maneira alguma. Apegam-se à pretensa verdade absoluta, negando-se a cogitar qualquer argumento que porventura seja capaz de derrubá-la. É admirável tal devoção a certas certezas, até porque só podemos ter certeza absoluta das coisas que não compreendemos. Talvez sobre essa verdade não pairem dúvidas.
 Como nem todas as naves poderiam participar dessa invasão, por medo do início de uma revolta por parte dos vetterianos, ou então qualquer problema relacionado a estabelecer a vida no planeta, poderia acabar com toda a espécie humana remanescente. Por isso é feito um sorteio para garantir quem irá participar da tomada do planeta, quais naves aguardaram uma emissão de que tudo está bem e apenas uma nave se dividirá em diversos quadrantes, para explorar e viver do lado negro do planeta, buscando descobrir o que ocorre por ali.
O livro não possuí um personagem principal específico e sim um conjunto deles, dentre eles podemos observar em um primeiro momento Cassius, Vitória, Loretta, 7814, Stella.
Todos os personagens são bem construídos e desenvolvidos cada qual em sua história específica que se mescla com a dos outros.
Cassius é o segundo no poder da nave Viena, estando abaixo apenas de Stella, ele é o único tripulante a cima do peso, pois se recusa a alimentar-se de cápsulas como todo o restante da nave, mantendo suas refeições totalmente sólidas sendo que há um racionamento enorme sobre essas refeições.  Autoritário e acreditando ser o dono do mundo, todos o suportam apesar de todos os seus excessos, por saberem que não é possível eleição de qualquer outro melhor que ele e de certa forma ele cumprir com suas obrigações.
Stella é a comandante máxima da nave Viena e cabe a ela todas as decisões de suma importância. Uma mulher forte e valente que não deixa nada a desejar quanto a sua natural liderança, a favor da morte dos vetterianos e fazendo de tudo para ascender no poder supremo de todas as naves ela tem grande influência na vida de todos os demais personagens.
Vitória é uma personagem de mente fraca, cuja a única designação é servir como barriga de aluguel, amante de Cassius e por isso conhecedora de quase todos os segredos da nave ela se sente poderosa e ao mesmo tempo frágil.  É a personagem que menos me agradou durante toda a trama, não por seu desenvolvimento, mas sim por suas características.
Loretta é uma cientista para lá de forte e que defende com todo fervor seus ideais. Decidida a salvar a vida dos vetterianos ela começa a montar uma revolução onde coloca-se a frente e toma a liderança.
E por fim meu personagem favorito 7814, o vetteriano responsável por sua sobrevivência através de sua rebeldia. Cheio de pensamentos unicamente próprios e ideia geniais ele é extremamente cativante e principalmente humano misturado a suas características propriamente alienígenas tendo muito destaque desde o princípio até a última página do livro.   

Então,7814 sentiu-se mais cheia de si do que nunca ao julgar que sua individualidade era um sinal claro da evolução de sua espécie, que precisava de um mártir excluído e expulso para iniciar uma mudança de visão em relação à natureza e aos outros seres vivos, inclusive os heterótrofos. A visão holística de preservação ambiental era insuficiente quando parte da natureza se julgava tão superior ao restante a ponto de desempenhar o confortável papel de terceiro observador. O devorar de um animal pelo outro talvez fosse mais nobre do que a distância neutra de observação feita do interior de uma bolha. 
O livro consegue transmitir grande crítica social através das ações tomadas pelos seres humanos, ações essas que um dia podem realmente nós levar a sermos obrigados a deixar a Terra. Mostrando com sutileza na maioria das vezes a insignificância do homem nesse enorme Universo e ao mesmo tempo a significância que ele acredita ter, sempre buscando dominar os mais fracos e com isso adquirir suas terras. Sem dó nem piedade o homem invade o planeta alheio, cria conflitos não necessários e acaba com uma espécie unicamente por ser diferente da dele.
Infelizmente essa é uma realidade trazida dentro da ficção científica repleta de naves espaciais, novos planetas, novas soluções, tecnologias e tudo que se pode desejar. Não sou fã desse gênero, no entanto o livro me cativou de uma maneira única, contendo grande reflexão da realidade em suas aventuras ficcionais.
Neste ponto vocês devem estar questionando a minha nota 4.5 para o livro, ela se deve única e exclusivamente para a enormidade que são os capítulos, é claro que capítulos grandes são extremamente válidos desde que sejam bem desenvolvidos, como é o caso do livro, no entanto particularmente isso reduz a minha velocidade de leitura fazendo com que eu tenha descontado 0,5 do livro, mesmo assim ele se manteve em um patamar de excelência.


O apocalipse havia chegado. A catástrofe vinda do espaço era o único tema da falha de comunicação vetteriana ainda possível de distinção nos momentos de caos que sucederam a queda dos imensos blocos de almágema. Só a queda da estrutura foi responsável pela morte de um terço da população vetteriana. O número de feridos era enorme, mas a redoma ainda resistia em suas bordas. 
 Se vocês ficaram curiosos recomendo que adicionem o livro no skoob e podem adquiri-lo na Livraria Saraiva por apenas 9,90 clicando aqui.
Espero que tenham gostado.

Beijos!

0 comentários:

SEGUIDORES

Maria Margarida

Começando bem o ano

Quote da Semana

Quando se lançou naquela aventura sabia que deveria ser uma única noite, mas seu coração traiçoeiro não quis. Seu coração traiçoeiro quis coisas impossíveis. Coisas que teriam um preço.


Você Arranjou Um Problema - Silvia Fernanda
Tecnologia do Blogger.

Fale Conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *

Total de visualizações de página

SPHair Cosméticos

Autores Parceiros

Autores Parceiros

Autores Parceiros

Blogues Parceiros

Autores Parceiros

Receba notícias no seu e-mail!

Fique por dentro em qualquer idioma!

PERFIL

Play!

PageRank

PageRank

set